quinta-feira, julho 29, 2004

Steve Mackay´s Radon Ensemble. Maus Hábitos. 23 de Julho de 2004


Fotografia de Carlos Oliveira

Os lendários Stooges e o seu mais do que carismático líder, Iggy Pop, acabaram por não estar presentes no Festival de Lisboa, nem no Festival do Dragão, nem no Festival de… bem, Lisboa, mas nem por isso Steve Mackay deixou de marcar presença no Maus Hábitos, com a sua Radon Ensemble. O saxofonista norte-americano é especialmente conhecido pela sua participação em Funhouse, o clássico dos Stooges que data de 1970. Depois da dissolução da banda de Iggy Pop, em 1973, Steve Mackay tornou-se numa espécie de free-lancer e tem trabalhado com artistas como Snakefinger (o guitarrista dos Residents) ou com os Violent Femmes. A estreita relação que entretanto estabeleceu com Portugal fez com que actuasse algumas vezes com os Mécanosphère de Adolfo Luxúria Canibal e com outros músicos Portugueses. Desta vez, a Radon Ensemble, um conjunto em constante metamorfose, incorporava o colectivo Soppa - Miguel Cardoso (baixo, laptop), Filipe Silva (guitarra), Jonathan Saldanha (bateria, metais) e Henrique Fernandes (contrabaixo) -, Gustavo Costa (bateria) dos Stealing Orchestra, Benjamin Bréjon (electrónica) e o incansável Scott Nydegger (electrónica) dos Mécanosphère, e o peculiar Kamilsky – um checo que é líder dos Koonda Holaa and the Beeches e que já participou nos Residents, Lydia Lunch, Death in June –, entre outros convidados.

Para continuar a ler a reportagem, seguir por aqui.
CocoRosie em Paredes de Coura



As CocoRosie, a dupla formada pelas manas Sierra e Bianca Cassidy, vão actuar no Festival Paredes de Coura nó próximo dia 17 de Agosto. As autoras de Palco Songwriters apresentam-se no Palco Songwriters.

A propósito das CocoRosie, o AMG informa:

"An enchanting debut, CocoRosie's La Maison de Mon Reve is a dreamy yet challenging confection of found sounds, folk-blues, trip-hop, girlish pop, and experimental recording and production techniques. The Casady sisters' breathy, slightly different, but equally lovely vocals circle each other atop delicately plucked and strummed acoustic guitars, chirping birds, and fractured beats, making for a sound that is hard to define outside of its own beauty and creativity. A strong Billie Holiday influence colors the sisters' vocals, particularly on La Maison de Mon Reve's most accessible songs, but even then, CocoRosie isn't so much aping Lady Day as it is invoking her style in unique ways."

terça-feira, julho 27, 2004

Magnetic Fields em Lisboa



Os Magnetic Fields, liderados por Stephin Merritt, autores de discos como 69 Love Songs e o mais recente i, vão estar em Portugal para um concerto no dia 20 de Outubro na Aula Magna, em Lisboa.

domingo, julho 25, 2004

The Linn Youki Project. Maus Hábitos. Porto. 22 de Julho de 2004



Porto e Barcelona são duas cidades distantes por razões óbvias, mas durante todo o mês de Julho têm estado bastante próximas. O espaço Maus Hábitos recebe cerca de setenta artistas vindos de Barcelona, num evento que se apelidou de “BCN, T'ho Porto, BCN To Porto”. A ideia, segundo os comissários Gerald Altaió, Matilde Grau e Daniel Pérez, é a de “transformar os 600 metros quadrados do Maus Hábitos numa pequena Barcelona” e, desta vez, seriam os The Linn Youki Project os responsáveis pela união ibérica. Peculiarmente chamado por um trompete que irrompeu no meio da sala principal do Maus Hábitos, o público encaminhou-se até ao local do espectáculo, caminhando e percorrendo as pequenas salas e corredores do espaço. No palco, dois baixos e uma bateria. Ao seu lado, um ecrã fazia adivinhar que o concerto seria acompanhado de imagens.

Para continuar a ler a continuação da reportagem sobre os The Linn Youki Project, seguir por aqui.

sábado, julho 24, 2004



@c
v3
2004
Crónica

v3, o terceiro disco da dupla portuense Pedro Tudela e Miguel Carvalhais, e o segundo pela Crónica, é uma espécie de compilação de excertos gravados ao vivo – e posteriormente remisturados pelos próprios @c - em três espectáculos durante 2003: no primeiro, no Festival EME, em Palmela, @c + Lia – um trio audiovisual que compõe imagens que constituem um complemento à música do duo portuense - actuaram como um quinteto e contaram com a participação de Manuel Mota e João Hora; no segundo espectáculo, em Londres, no Atlantic Waves Festival, organizado pela Fundação Calouste Gulbenkian, @c + Lia actuaram com o baterista Andy Gangadeen; na terceira e última actuação, em Huddersfield, no Festival Ultrasound, contaram com a participação de Vítor Joaquim.

Para continuar a ler, seguir por aqui.

sexta-feira, julho 23, 2004

Paredes Perpétuas



Muitas vezes se confunde guitarra portuguesa com Carlos Paredes, o seu incontestado mestre. Muitas vezes se confunde Carlos Paredes com saudade, melancolia, vivacidade, nostalgia, partilha, amor e Portugal. Ainda mais vezes se confunde Carlos Paredes com génio, emoção, sentimento. As cordas que fez vibrar fizeram-se sentir em cada casa, em cada caminho ermo, em cada rua que ousou mostrar o seu nome. A sua música percorreu corações, tocou muitos, comoveu outros tantos, mas nunca passou sem deixar a sua marca. Talvez a guitarra portuguesa seja uma extensão dos seus braços, das suas mãos, da sua bondade. Talvez seja o veículo de todos os sentimentos que ousou transmitir. Talvez Carlos Paredes e a guitarra portuguesa sejam um só, e por certo não haverá nenhuma rua que não exiba marcas desta união. Por certo não haverá alma que tenha permanecido igual depois de ter sido tocada desta maneira.

Para continuar a ler o artigo sobre Carlos Paredes, seguir por aqui.

quinta-feira, julho 22, 2004

Jon Spencer Blues Explosion em Paredes de Coura



Os Jon Spencer Blues Explosion, autores de discos como Acmne e Plastic Fang, são o último nome acrescentado ao cartaz da edição de 2004 do Festival Paredes de Coura que vai decorrer entre os dias 16,17,18 e 19 de Agosto. Sobre os JSBX, o AMG comenta:

"After a long and semi-successful tenure as leader of scuzz-rock heroes Pussy Galore, Jon Spencer took his anti-rock vision and hooked up with guitarist Judah Bauer and drummer Russell Simins to create the scuzz-blues trio the Jon Spencer Blues Explosion. Postmodern to the core, this is an ironic name; little of what this band plays resembles standard blues."

quarta-feira, julho 21, 2004

Madredeus com digressão nacional



Os Madredeus, que lançaram há pouco tempo Um Amor Infinito, o último disco de originais, marcaram as datas para uma digressão nacional. Os concertos de promoção de Um Amor Infinito são as seguintes:

Évora, Páteo de São Miguel (30 de Julho)
Lagos, Auditório Municipal de Lagos, (3 de Agosto)
Porto, Jardins do Palácio de Cristal (5 de Agosto)
Vila Nova de Cerveira, Jardim das Piscinas Municipais (6 de Agosto)
Faro, Largo da Sé, (6 de Setembro)
Angra do Heroísmo, Cineteatro (29 de Outubro)
São Miguel, Teatro Micaelense (31 de Outubro)
São Miguel, Teatro Micaelense (1 de Novembro).
Clã em digressão nacional



Os Clã, que lançaram recentemente Rosa Carne, marcaram as datas para uma digressão que vai decorrer nos meses de Julho, Agosto e Setembro. As datas são as que se seguem:

Julho

22 Lagos
24 Lisboa - Festival Tejo
25 Mondim de Basto
30 Guimarães
31 Carviçais - Festival

Agosto

6 Zambujeira - Festival
7 Açores – Graciosa
14 Portimão
23 Lagoa – Fatacil
26 Corroios
27 Porto – Noites Ritual Rock

Setembro

1 S.Vicente - Madeira
5 Festa do Avante
6 Palmela
TGB no "Jazz no Parque" em Serralves



Os TGB, trio constituido por Alexandre Frazão na bateria, Sérgio Carolino na Tuba e Mário Delgado (na foto) na guitarra, vão actuar no "Jazz no Parque" que vai decorrer em Serralves, no Porto, no próximo dia 24 de Julho de 2004, pelas 18:00. No site da CBTM é possível conferir informação sobre o trio:

"TGB é o nome de um trio que surgiu por indução de Alexandre Frazão, como aposta numa formação inusual em termos instrumentais, quer pelo tipo da combinação dos mesmos quer pelo lugar móvel que estes ocupam na pirâmide tímbrica.

O som TGB move-se num terreno próximo de formações clássicas inusitadas como: Jimmy Giuffre Trio (clarinete, guitarra, trombone), Paul Motian Trio (saxofone, guitarra, bateria), John Zorn "News from Lulu" (saxofone, guitarra, trombone) Tiny Bell Trio (trompete, guitarra, bateria).

O reportório viaja pelo próprio "sketch book" dos tês músicos, bem como por compositores pragmáticos ou Picassianos (Monk, Dolphy, Powel) cujo relevo melódico rítmico é tão abrangente, que permite as mais audaciosas inversões instrumentais.

Assim este triângulo variável explode nos ritmos de Alexandre Frazão sopra na Tuba irrequieta de Sérgio Carolino e rebate nas cordas de Mário Delgado.
"
Brad Mehldau na Aula Magna



O pianista Brad Mehldau vai estar em Portugal no próximo dia 30 de julho para um concerto na Aula Magna, em Lisboa. A propósito de Brad Mehldau, o AMG comenta:

"Brad Mehldau was another of the plethora of young jazz pianists in the '90s to adopt Bill Evans as their role model. Yet while the influence of Evans still thoroughly dominates Mehldau's introspective manner, harmonic constructions, and preferred format (the piano trio), he is one of the more absorbing and thoughtful practitioners within that idiom, and he is receptive to the idea of using material from the rock era (Paul McCartney's "Blackbird," for example)."
Noites Ritual Rock 2004 com cartaz



A edição de 2004 do Festival Noites Ritual Rock, que decorre todos os anos nos jardins do Palácio de Cristal, no Porto, já tem o cartaz completo. As noites ritual Rock vão decorrer entre os dias 27 e 28 de Agosto. O cartaz é o que se segue:

27 de agosto

Fat Freddy
Sam The Kid
Fritz Kahn
Pluto
Clã
Nuno, Nico
Jorge Cruz

28 de Agosto

Blunder
X-wife
Zen
Mão Morta
Matozoo (na foto)
NBC
Melo D

terça-feira, julho 20, 2004

Festival Hi-TeCa no Teatro Carlos Alberto



O Festival Hi-TeCa vai decorrer em Setembro na cidade do Porto, mais precisamente no Teatro Carlos Alberto. Este festival, que foca essencialmente a música electrónica, vai contar com os Spektrum, Philip Jeck, Christian Fennesz (na foto)+ Jon Wozencroft, Burnt Friedman+ Jaki Liebezeit e @c + Lia.

segunda-feira, julho 19, 2004

The Roots saem, Snow Patrol entram



As últimas novidades do Festival Paredes de Coura apontam para a saída dos The Roots e para a entrada dos Snow Patrol, os autores de When It's All Over We Still Have to Clear Up
e Final Straw. A propósito dos escoceses, o AMG informa:

"Featuring thrilling fuses of alternative pop/rock's most intensified marks, Snow Patrol's compositions combine songwriting aptitude with guitar rock's sharpest strains. Gary Lightbody (vocals, guitar), Mark McClelland (bass, keyboards), and John Quinn (drums) embodied the Northern Irish three-piece that started off as a duo."

domingo, julho 18, 2004


 
Cibelle
Cibelle
2003
Ziriguiboom 
  
Quando, numa qualquer movimentada noite de São Paulo, acabou em palco com um homem alto e misterioso, Cibelle sabia que tinha encontrado tudo aquilo que queria. Esse homem era Suba, o produtor nascido na Jugoslávia que se encontrava a trabalhar em algum material para ser editado. O enlace musical entre os dois músicos resultou em São Paulo Confessions, um dos mais inovadores discos da música electrónica brasileira da década de noventa, onde Cibelle oferece a sua voz em temas como “Tantos Desejos”, “Sereia” ou “Felicidade”. Tragicamente, Suba viria a falecer num incêndio no dia 2 de Novembro de 1999, e é precisamente a ele que é dedicado este primeiro disco de Cibelle, a menina camaleão.
 
Para ler o resto do texto, seguir por aqui.

quarta-feira, julho 14, 2004

Dealema / Mind Da Gap. Santa Maria de Lamas. 10 de Julho de 2004


Foto de Carlos Oliveira

A alguns metros do local do concerto, era já possível observar confrontos entre alguns jovens que se passeavam junto a uma máquina de Multibanco. Já perto desse mesmo local do concerto, uma menina trauteava em alegre karaoke um dos maiores êxitos da nossa música brejeira, num pequeno bar a céu aberto. Santa Maria de Lamas recebia a segunda etapa do Festival da Juventude de Santa Maria da Feira e os convidados eram os Dealema e os Mind da Gap. Local do concerto: nada mais, nada menos que o coreto do parque, rodeado por árvores e pequenas luzes. E para fazer justiça ao nome e conceito do festival, largas dezenas de jovens esperavam ansiosamente a chegada das duas bandas. A verdade é que o hip-hop afirma-se cada vez mais na juventude. Independentemente do local, das bandas ou do propósito, o hip-hop, em Portugal, move cada vez mais pessoas. A digressão conjunta dos Dealema com os Mind da Gap é uma das maiores provas desse mesmo sucesso.

Continuação da reportagem, aqui.

terça-feira, julho 13, 2004

Eternal Sunshine of the Spotless Mind



Há filmes que nos marcam, divertem, entusiasmam, emocionam. E depois há os filmes que se entranham, que são nem mais nem menos do que que verdadeiros socos no estômago. Eternal Sunshine of the Spotless Mind é um desses filmes. Corram para vê-lo. Eu já o fiz duas vezes.

Ainda por cima, a banda sonora é fantástica. Inclui uma inspiradora versão de Beck para o tema "Everybody's gotta learn sometime", um original dos Korgis. Segue-se um excerto da letra dessa mesma canção.

"Change your heart
Look around you
Change your heart
It will astound you
I need your lovin'
Like the sunshine

Everybody's gotta learn sometime
Everybody's gotta learn sometime
Everybody's gotta learn sometime
"
Suicide em Lisboa



Os norte-americanos Suicide, de Alan Vega e Martin Rev, autores de American Supreme, vão estar em Portugal para um concerto no Paradise Garage, em Lisboa, no dia 31 de Julho.

Sobre os Suicide, o AMG relata: "Suicide had been a part of the performing arts scene in New York City's Lower East Side in the early/mid-'70s New York Dolls era. Their approach to music was simple: Rev would create minimalistic, spooky, hypnotic washes of dissonant keyboards and synthesizers, while Vega sang, ranted, and spat neo-Beat lyrics in a jumpy, disjointed fashion. On stage, Vega became confrontational, often baiting the crowd into a riotous frenzy that occasionally led to full-blown violence, usually with the crowd attacking Vega."
Massive Attack no Festival Sudoeste



Os Massive Attack são a mais recente novidade para o Festival Sudoeste. Os autores de Blue Lines e Mezzanine actuam no dia 6 de Agosto, ao lado dos Franz Ferdinand, dos Dandy Warhols e dos portugueses Clã.

domingo, julho 11, 2004

Nomeansno em Portugal



Os canadianos Nomeansno, autores de discos como Why Do They Call Me Mr. Happy? ou The Worldhood of the World (As Such), vão estar em Portugal para três concertos. O primeiro decorre no dia 9 de Novembro, no Porto, e o segundo no dia 10 de Novembro, em lisboa. No dia seguinte, 11 de Novembro, os Nomeansno actuam noutra localidade ainda a designar. Os locais dos espectáculos ainda não são conhecidos.

A propósito dos Nomeansno o AMG diz:

"Often bizarre punk band from Victoria, British Columbia, featuring brothers Rob (bass, guitar, vocals) and John Wright (vocals, drums, keyboards). The group's punk hybrid also encompasses touches of jazz, funk, and metal, with special emphasis laid on jarring, hard-to-follow rhythms. Their lyrics are often self-consciously weird, but the group is frequently original and challenging."

sábado, julho 10, 2004

Spiritualized no Festival Carviçais Rock



Os Spiritualized, a banda de Jason Pierce, autores de discos como Lazer Guided Melodies, Ladies and Gentlemen We Are Floating in Space ou Let It Come Down, vão estar em Portugal para participar no Festival Carviçais Rock. Ainda não é conhecida ao certo a dada da actuação, mas deverá acontecer entre os dias 30 de Julho e 1 de Agosto, os dias em que decorre o Festival.

quarta-feira, julho 07, 2004



The Album Leaf
A Safe Place
2004
Sub Pop

Nos últimos anos, naquilo que parece ser quase um truque de magia, a Islândia tornou-se numa fonte de inspiração para muito boa gente. Das terras gélidas para todo o mundo, surgiram os Sigur Rós, os Múm, os Gus Gus, os Leaves, Mugison, e sabe-se lá mais o quê. E já diz o ditado: “Se Maomé não vai à montanha, a montanha vai a Maomé”. Para o seu novo disco, Jimmy LaValle assumiu pela terceira vez o epíteto Album Leaf, aceitou finalmente o convite que lhe havia sido feito e viajou para a Islândia na procura da tal inspiração mágica. A Safe Place, que marca a estreia do projecto de Jimmy LaValle na Sub Pop, foi gravado num estúdio onde os Sigur Rós e os Múm já trabalharam, por entre as paisagens árcticas da Islândia.

Para continuar a ler, clicar aqui.
O levantar da poeira



Os Dead Combo são Tó Trips nas “guitarras desajeitadas” e Pedro Gonçalves no “contrabaixo tuga e “guitarra desajeitada”, como eles próprios afirmam. Nasceram no início do século XXI (no ano de 2001, mais precisamente) mas só agora lançaram o seu primeiro disco, Vol. I, pela Transformadores. Pelo meio, gravaram um tema para a compilação de homenagem a Carlos Paredes intitulado “Paredes Ambience“, compuseram a banda sonora de Sudwestern - Un Duelo En El Barrio e Guitarra com Gente Lá Dentro de Edgar Pêra, e deram um número considerável de concertos. Os Dead Combo pegam na essência do fado e cobrem-no com pó vindo do Western, e, nas palavras dos próprios, “tocam Lisboa, a cidade do campo, das chaminés e das cúpulas brancas, cenários de um passado perdido, o fado, o Western vadio, tudo junto num voodoo de emoções, clichés e histórias entre o Tejo, as estradas do sul, os amantes desencontrados, anjos abandonados nas encruzilhadas do destino, vozes de mulheres, flores com cores trocadas, santos, câmaras ardentes, guitarras despidas, cuspidas e deitadas à rua, contrabaixos em fogo, cartolas, galinhas à solta e coisas que rolam na rua”. E é assim que se faz o estranho mundo dos Dead Combo.

A entrevista com os Dead Combo, aqui, no sítio do costume.

segunda-feira, julho 05, 2004

Festival Sudoeste anuncia o cartaz de 2004



O Festival Sudoeste, que vai decorrer entre os dias 5 e 8 de Agosto anunciou os nomes para a edição deste ano. O cartaz encontra-se ainda incompleto, pois falta ainda anunciar um ou outro nome. O cartaz é o seguinte:

5 de Agosto

Soulwax
Divine Comedy (na foto)
Rodrigo Leão/participação especial: Sónia Tavares (The Gift) e Ana Vieira

6 de Agosto

Franz Ferdinand
Dandy Warhols
Clã

7 de Agosto

Groove Armada
Da Weasel
Zero 7
Ash
Love with Arthur Lee


8 de Agosto

Kraftwerk
Air
dEUS
Tim Booth
Mark Lanegan em Paredes de Coura



Mark Lanegan, o autor de Whiskey for the Holy Ghost e I'll Take Care of You, vai estar em Portugal para o concerto no Festival Paredes de Coura no dia 18 de Agosto. A propósito de Mark Lanegan, o All Music Guide diz:

"Mark Lanegan's solo albums are sufficiently dissimilar in tone from those of his regular group, Screaming Trees, to make listeners wonder where his true interests lie. His records often employ a much more acoustic tone, and address much more serious, personal concerns. Despite ample critical acclaim, Lanegan always kept the Screaming Trees his primary concern (that is, until their breakup). "

domingo, julho 04, 2004

Hipnótica. Tertúlia Castelense. Castêlo da Maia. 2 de Julho de 2004



Nos inícios do século XX, eram habituais as famosas tertúlias que juntavam pessoas para o debate de ideias, convicções politicas, concertos e outras manifestações de arte. Os tempos da “Belle Époque” reuniram intelectuais, músicos, vários artistas e todas as pessoas ou grupos de amigos que desejassem discutir os temas mais importantes da sociedade da época. Nos dias de hoje, mais ou menos disfarçadas, as tertúlias continuam presentes aqui e ali, e na Maia, a Tertúlia Castelense é local apetecível para o efeito. Ambos os pisos estão decorados com peças antigas, objectos valiosos e verdadeiras relíquias – inclusive as cadeiras recuperadas do antigo café portuense "A Brasileira" – que conferem ao espaço verdadeira nostalgia, tornando-o numa espécie de bar-museu. De resto, a aposta numa programação cultural variada fazem com que a Tertúlia Castelense se tenha tornado local de culto para muita gente.

Para conferir o texto / reportagem ao concerto dos Hipnótica na Tertúlia Castelense, clicar aqui.

sábado, julho 03, 2004

Kate Walsh. Café Concerto Rivoli. Porto. 1 de Julho de 2004



De Burnham On Crouch, Inglaterra, até à cidade do Porto são cerca de 1993 Km, mas nunca foi do conhecimento de alguém que a distância e o tempo pudessem retirar a força a uma voz que ultrapassaria tudo e todos para se fazer ouvir. Embora seja uma menina de 21 anos, Kate Walsh é já senhora de uma bela voz. O seu álbum de estreia, Clocktower Park – o nome advém de um largo onde a juventude de Burnham On Crouch se reúne – é o motivo para uma visita a Portugal que inclui quatro concertos. Quem conhece o café-concerto do Rivoli, sabe que este é um dos sítios mais aconselháveis para um concerto deste tipo: um palco em madeira mostra no seu fundo três janelas que mostram a noite do Porto; as mesas, muitas, iluminadas por pequenas velas; as luzes a meio tom. Depois de todo o material montado – dois microfones, uma guitarra acústica e uma eléctrica – Kate e Rick Oliver, o guitarrista que a acompanha, subiram ao palco sob os olhares atentos do público.

Continua aqui.