segunda-feira, fevereiro 23, 2004

Sons de um dia alfabético - Parte III

Outkast - Speakerboxxx, The Love Below

domingo, fevereiro 22, 2004

Dead Combo / Nuno, Nico. Maus Hábitos. Porto. 21 de Fevereiro de 2004


Na foto: Pedro Gonçalves (Dead Combo)

Como fundo para o concerto, uma parede preta furada apenas por duas janelas que davam vista para a cidade do Porto, escurecida pela noite. A ocasião: a festa de lançamento dos números dezoito e dezanove da revista “Bíblia”. Uma sala bem prenchida para receber os Dead Combo e o projecto Nuno, Nico.

O resto da critica ao concerto de ontem na Bodyspace.

Rosie Thomas - Only With Laughter Can You Win

Depois do aclamado When We Were Small, surge Only With Laughter Can You Win, o segundo registo da menina que tem voz doce e terna de criança. A própria capa parece mostrar aquilo que o disco tem para apresentar; de facto, este registo é como uma confissão para um diário escrita num qualquer quarto com as paredes forradas a papel de cor-de-rosa numa tarde solarenga de Verão. Espalhados pela cómoda, postais dos amigos e fotografias das pessoas mais queridas. Guardadas numa caixa velha coberta de pó, as memórias do Inverno ou de há dez anos atrás, prontas a ser desenterradas.
E é, pois, da aproximação ao passado que fala este disco. Rosie fala da sua família, dos seus amigos, do amor e de si própria, e tudo isto com um tom confessional invejável e sem cair nunca numa toada lamechas. É a simplicidade deste disco que faz com que seja tão fácil, ao comum ouvinte, identificar-se com o que aqui é dito.

O resto do texto, no sítio do costume.


Os suecos Last Days Of April vão estar no bar O Meu Mercedes É Maior Que O Teu, no Porto, para um concerto no mês de Março. A banda de Ascend to the Stars, editado na Bad Taste em 2002, são compostos por Karl Larsson, Lars Taberman, Daniel Svenfors e Andreas Fornell.
Sons de um dia alfabético - Parte II

Isan - Meet Next Life
John Vanderslice - Cellar Door
Kind of Like Spitting - Bridges Worth Burning
Lamb - Fear of Fours
Mick Turner - Marlan Rosa
Neil Young - Harvest

sábado, fevereiro 21, 2004

Atomic Garden / No Age Limit / July Thirteen / Voidshape. Hard Club. Gaia. 20 de Feveiro de 2004



As noites Hardcore / Punk continuam, desta vez com as actuações de mais quatro bandas. Como eram esperadas poucas pessoas, os concertos aconteceram numa das alas superiores do recinto do Hard Club. O som (entenda-se, acústica), como sempre, estava muito bom e o ambiente era o propício: não havia punks de crista, mas havia punks em crescimento e mesmo as (já habituais) meninas adolescentes que parecem saídas da Foz. Armadas com cintos da Bershka e camisolas justas de cores vivas, de ombros destapados e cabelos compridos e bem arranjados, abanavam a anca de acordo com a batida da música. Sorriam e fumavam, nervosas, esperando ansiosamente que chegasse a hora de ir para a discoteca mais próxima.
Os No Age Limit misturavam punk com ska (embora poucas vezes), e através do seu vocalista que se vestia de fato e gravata, distribuiam gratuitamente fúria punk e letras panfletárias. Uma ou outra banda acusava a notória falta de rodagem e experiência de palco. Outros, limitavam-se a criar melodias guiadas por um baixo e duas guitarras que reproduziam exactamente o mesmo som e a mesma estrutura. Desde Punk Rock & Ska, passando pelo Hardcore Melódico até ao Sweet Screamo Metal Core (desenganem-se aqueles que tinham vergonha em dizer que ouviam pós-rock com base no Krautrock a piscar o olho ao psicadelismo britânico de 70s e ao Free-Jazz de finais de 60) tudo serviu para ser apresentado. Curiosamente, aquela que prometia ser a melhor actuação da noite, a dos July Thirteen, ficou-se apenas pelas 4/5 canções.
Resumindo, muito espéctaculo, muita conversa e pouca música e pouco look.
Sons de um dia alfabético

American Music Club - California
Blur - Blur
Califone - Deceleration Two
Dizzee Rascal - Boy In Da Corner
Ellery Eskelin / Andrea Parkins / Jim Black - Arcanum Moderne
Felt - Stains On A Decade
Godspeed You Black Emperor! - Slow Riot For a New Zero Kanada EP
Hipnótica - Decode

© André Gomes

Tu pensas em mim

Caiu a chuva, depois o silêncio, e em surdina
apenas o ruido das máquinas mastigando o remorso.
Para o pouco do grande amor que te tive nasce em mim,
ó quase desconhecida, um pensamento. Breve,
leve, e já se perdeu a inquietação, esvoaçou
da caixa em que a fechara. Nos braços
do visitante que veio para o fim-de-semana os teus
olhos pousam devagar na sombra da cadeira,
tu pensas em mim,
e sem te assustares beijas devagar as suas mãos.

João Camilo

sexta-feira, fevereiro 20, 2004



Os Bildmeister, que editaram recentemente um novo EP pela Borland, acabam de marcar as datas para uma curta digressão de apresentação do novo single, "Here Alone". A banda de Explay actua no dia 25 de Fevereiro na­ RUM, em Braga, e no dia seguinte, 26 de Fevereiro no bar­ O Meu Mercedes é Maior Que O Teu, no Porto. No dia 28 de Fevereiro jogam em terreno caseiro, ao actuar no­ Auditório Municipal em Vila do Conde .
Sons de hoje

Sage Francis - Personal Journals
Rosie Thomas - Only With Laughter Can You Win
Sufjan Stevens - Greetings From Michigan: The Great Lakes State
Nick Cave & The Bad Seeds - No More Shall We Part
Neko Case - Blacklisted
Dakota Suite - Songs for a Barbed Wire Fence
Bedhead - Bedheaded


Os Zu, que ontem actuaram na Guarda, vão estar hoje na Galeria Zé dos Bois, em Lisboa, e no dia 22 de Fevereiro no Maus Hábitos, no Porto. Os Zu, um trio composto por baixo, saxofone e bateria, lançam o próximo discona a primavera de 2004 pela editora Atavistic - Touch and Go.

O Victor Afonso diz, a propósito do concerto na Guarda:

"Os três músicos revelam mestria e formação jazzística apurada (sobretudo o espantoso e multifacetado baterista), e tocam com um entrosamento musical incrível, onde a técnica está ao serviço da criatividade e não o inverso: nunca vi um baixista a tocar daquela maneira (lembram-se das linhas de baixo dos NoMeansNo?), com uma sonoridade tão abrasiva e metálica, soltando malhas que mais parecem saídas da guitarra de Lee Ranaldo; raramente terei visto e ouvido um baterista com uma técnica e uma criatividade que lhe permite mudar, em segundos, de uma sequência meramente jazzística para uma descarga frenética de puro e duro hardcore (e vice-versa!); já o saxofonista me pareceu mais limitado tecnicamente, mas com um grande apuro formal. O resultado é um complexíssimo trabalho sonoro de um arrojo e de um impacto que deixa qualquer um de queixo caído. Noise, erupções sónicas, distorção, fligranas sonoras, suaves melodias, improvisação (pouca, muito pouca: 95% dos temas são compostos ao milímetro!), tudo isto e muito mais é feito um concerto deste trio ..."

quinta-feira, fevereiro 19, 2004



Mário Laginha apresenta-se no dia 21 de Fevereiro para um concerto no Teatro de S. Luis, em Lisboa. O concerto do pianista tem hora marcada para as 23:30.


Os Rádio Macau, que estão de regresso aos albuns de originais com "Acordar", vão dar inicio a uma digressão nacional de doze datas. O primeiro concerto acontece hoje, 19 de Fevereiro, na Maia.
Sons de hoje

Mark Mulcahy - Fathering
The Delgados - Domestiques
Smog - Knock Knock
Prefuse 73 - One Word Extinguisher
Noxagt - Turning It Down Since
Slam - Fabric 09
Andy White - Teenage
Van Der Graaf Generator - Still Life
Blockhead - Music By Cavelight Big Dada
Fiona Apple - Tidal
Rosie Thomas - Only With Laughter Can You Win
Godspeed You ! Black Emperor - Yanqui U.X.O.


Gal Costa, a autora de A Todo Vapor, vai estar no Casino do Estoril no próximo dia 23 de Fevereiro. Na actuação, inserida numa gala, Gal Costa vai interpretar vários clássicos brasileiros.

quarta-feira, fevereiro 18, 2004



É a confirmação. Os Pixies vão actuar em Lisboa no dia 11 de Junho num concerto inserido no Super Bock Super Rock deste ano. Após 11 anos de pausa, Frank Black, Kim Deal, Joey Santiago e David Lovering estão de novo juntos para uma digressão que passa nos EUA e em alguns países da Europa.
Sons de hoje

John Cale - Hobo Sapiens
Joni Mitchell - Blue
Sleater-Kinney - Call The Doctor
Wire - 154
Led Zeppelin - Led Zeppelin II
16 Horsepower - Folklore
Dealema - Dealema
Carla Bruni - Quelqu'un M'a Dit
Aurore Rien - Sedative for the Celestial Blue


Mísia, que lançou recentemente "Canto", uma interpretação da música de Carlos Paredes, vai estar em Coimbra para um concerto no dia 19 de Fevereiro. Depois da digressão europeia, este é o primeiro concerto da fadista em Portugal, em 2004.

terça-feira, fevereiro 17, 2004

Sons de hoje

The Unicorns - Who Will Cut Our Hair When We're Gone
Elegia - So Far Above
Black Rebel Motorcycle Club - Take Them On, On Your Own
Blackalicious - Blazing Arrow
Sleater-Kinney - Call the Doctor
Sun Kil Moon - Ghosts of the Great Highway
Godspeed You Black Emperor! - Slow Riot For a New Zero Kanada EP
Godspeed You ! Black Emperor - Yanqui U.X.O.

© André Gomes

As portas do mundo não sabem

As portas do mundo não sabem
que lá fora a chuva as procura.
As procura. As procura. Paciente
afasta-se, regressa. A luz
não sabe que há chuva. A chuva
não sabe que há luz. As portas,
as portas do mundo estão fechadas:
fechadas para a chuva,
fechadas para a luz.

Sandro Penna


O cabo-verdiano Tito Paris, acompanhado de um grupo de cordas e sopro, vai apresentar-se em Portugal para concerto único em Lisboa, na Aula Magna, no dia 20 de Fevereiro. O concerto serve de promoção ao seu novo disco de originais, chamado "Guilhermina".

segunda-feira, fevereiro 16, 2004



Calvin Johnson, o lider dos lendários Beat Happening e mentor de projectos como os Dub Narcotic Sound System, vai estar em Portugal para um concerto no dia 20 de Fevereiro, em Coimbra. Esta primeira actuação em território nacional serve para o patrão da K Records apresentar o seu album de estreia a solo, chamado "What Was Me".
Sons de hoje

Led Zeppelin - Led Zeppelin III
Led Zeppelin - Presence
Sloan Wainwright - Sloan Wainwright
Grace - High On You EP
The Vicious Five - The Electric Chants Of the Disenchanted EP
The White Stripes - Elephant
Interpol - Precipitate EP
Desert Sessions - Desert Sessions 9 & 10
Ryan Adams - Rock N Roll
Arab Strap - Monday At The Hung And Pint
Radio 4 - The New Song And Dance
Furtips - When My Baby Smiles at Me, I Go to Rio
Red House Painters - Down Colorful Hill

© André Gomes

A caixa das cartas antigas

Ainda está por decidir a caixa
onde somamos
cartas de quem nos queria antes
do acordar aqui. Mas
como ordenar essas linhas
(mesmo que
para as ler de vez)
sem ter que rever cada voz?
Resistindo à distracção de
ter que aceder à memória?
Sendo fiel ao momento sem
ser
desleal com o passado?
Usando apenas as mãos
sem usar dos sentimentos?
Revisitando os lugares
sem saudar as personagens?

chaves que deves fazer por
perder nas despedidas
se
no agudo vão de escadas que sobe ao teu coração
a caixa é uma teia
(ardilosamente montada)
pronta a reter a pressa de
um
voo mais desprevenido.

João Luís Barreto Guimarães

domingo, fevereiro 15, 2004


© André Gomes

As tábuas de madeira

Dêem-me as tábuas,
essas tábuas de madeira firme
com que se constroem os barcos.

Dêe-me as tábuas rijas do tempo,
as tábuas livres e cantantes de madeira
com que se erguem os muros fortes
das cidades inexpugnáveis.
Deixem-me juntá-las às folhagens
do despojamento da sua condição de árvores.

Com elas, prometo,
irei vigorosamente alicerçar,
no entrelaçar das tempestades
que se lêem nos intervalos das nuvens invernais,
as jangadas calmas
que respondem nas manhãs de nevoeiro
pelo simples nome de casas.

Depois, se verdadeiramente me apetecer,
decoro-as com dois pares de asas
e deixo-as voar.

A promessa permanece no poema.
Deixemos as casas, na sua condição de jangadas,
cumprir com a sua missão de navegar.

José António Gonçalves
Sons de hoje

Damien Jurado - Holding His Breath EP
The Vicious Five - The Electric Chants Of the Disenchanted EP
Maria Rita - Maria Rita
Grace - High On You EP
John Coltrane - Meditations
Pelt - Pearls From The River
Explosions In The Sky - How Strange, Innocence
From Monument To Masses - The Impossible Leap In One Hundred Simple Steps
Shipping News - Save Everything
John Coltrane - Giant Steps
Herbie Hancock - Maiden Voyage
Macha - Macha
Sigur Rós - ()

sábado, fevereiro 14, 2004

Sons de hoje

Grace - High On You EP
Don Caballero - For Respect
Sleater-Kinney - Call the Doctor
Prolapse - The Italian Flag
Seam - Are You Driving Me Crazy?
Kimmo Pohjonen - Kielo
Ornette Coleman - The Shape of Jazz To Come
Plaid - Spokes
Meanest Man Contest - Merit
Sonny Sharrock - Black Woman
Macha - Macha
The Strokes - Room on Fire
Mirah - Advisory Committee
Aurore Rien - Telesthia EP
Damien Jurado - Holding His Breath EP
Ryan Adams - Heartbreaker
Low - Murderer EP
Damien Jurado - Four Songs EP
Sigur Rós - ()


Os Appleseed Cast vão actuar no bar O Meu Mercedes é Maior Que o Teu, na próxima quarta feira, dia 18 de Fevereiro. O último disco de originais da banda chama-se "Two Conversations" e foi editado em 2003 pela Tiger Style. Os bilhetes custam 5 € (7€ no próprio dia) e estão à venda nos locais habituais.


Nitin Sawhney, o músico britânico que, em tempos, editou Beyond Skin e Prophesy, vai actuar em palcos portugueses no mês de Abril. Os concertos vão acontecer no Coliseu do Porto e no Coliseu de Lisboa nos dias 16 e 17 do referido mês, respectivamente. As actuações vão ter como prato principal, o último registo de originais, Human, editado em 2003.

sexta-feira, fevereiro 13, 2004

Sons de hoje

Grace - High On You EP
Sleater-Kinney - Call the Doctor
The Delgados - Domestiques
Hüsker Dü - Candy Apple Grey
Macha - Macha
Bardo Pond - On The Ellipse
Don Caballero - For Respect
Mojave 3 - Spoon and Rafter
Mark Mulcahy - Fathering
Dakota Suite - Songs for a Barbed Wire Fence

quinta-feira, fevereiro 12, 2004

Sons de hoje

Grace - High On You EP
The Vicious Five - The Electric Chants Of the Disenchanted EP
Neil Young - On the Beach
Pretty Girls Make Graves - The New Romance
Low - Murderer EP
Mick Turner - Marlan Rosa
A Northern Chorus - Before We All Go To Pieces
Xela - For Frosty Mornings And Summer Nights
The American Analog Set - The Golden Band
Sunn O))) - White 1
Menomena - I Am The Fun Blame Monster
Mazzy Star - So Tonight That I Might See
The Silver Mt. Zion Memorial Orchestra & Tra-la-la Band With Choir - This Is Our Punk-Rock, Thee Rusted Satellites Gather + Sing
Appendix Out - Daylight Saving

Neil Young - Harvest Moon

Vinte anos após o lançamento de Harvest, aquela que muitos dizem ser a obra maior de Neil Young, o cantor nascido em Toronto apresenta um disco que tem tanto de confessional como de hipnotizador. De guitarra eléctrica pousada, contando de novo com Jack Nitzsche no que diz respeito aos arranjos, Neil Young esquece a atitude rocker e acolhe de braços abertos o formato acústico. Harvest Moon é uma manta de retalhos, um disco que fala de coisas simples: da separação da sua mulher, da morte do seu cão, da luta pela preservação do ambiente (que se tornou, cada vez mais, a sua causa) e de amigos perdidos na imensidão do tempo. É, no fundo, o disco que todos gostariamos de escrever se tivéssemos a oportunidade para tal. E o tom confessional é tão evidente que se torna difícil não reconhecer em cada frase, em cada refrão, o sentimento de perda, de ausência, de arrependimento ou mesmo redenção.

O resto do texto, aqui.

© André Gomes

(simília similibus)

Quem deita sal na carne crua deixa
a lua entrar pela oficina e encher o barro forte:
vasos redondos, os quadris
das fêmeas - e logo o meu dedo se poe a luzir
ao fôlego da boca: onde
o gargalo se estrangula e entre as coxas a fenda
é uma queimadura
vizinha
do coração - toda a minha mão se assusta,
transmuda,
se torna transparente e viva, por essa força que a traga
até dentro,
onde o sangue mulheril queimado
a arrasta pelos rins e aloja, brilhando
como um coração,
na garganta - o sal que se deita cresce sempre
ao enredo dos planetas: com unhas
frias e nuas
retrato as lunações, talho a carne límpida
- porque eu sou o teu nome quando
te chamas a toda a altura
dos espelhos e até ao fundo, se teus dedos abertos tocam
a estrela
como uma pedra fechada no seu jardim selvagem
entre a água: tu tocas
onde te toco, e os remoinhos da luz e do sal se tocam
na carne profunda: como em toda a olaria o movimento
toca a argila e a torna
atenta
à translação da casa pela paisagem rodando sobre si
mesma - a teia sensível,
que se fabrica no mundo entre a mão no sal
e a potência
múltipla de que esta escrita é a simetria,
une
tudo boca a boca: o verbo que estás a ser cada
tua morte
ao que ouço, quando a luz se empina e a noite inteira
se despenha
para dentro do dia: ou a mão que lanço sobre
esse cabelo animal
que respira no sono, que transpira
como barro ou madeira ou carne salgada
exposta
a toda a largura da lua: o que é grave, amargo, sangrento.

Herberto Helder

quarta-feira, fevereiro 11, 2004


The Unicorns - Who Will Cut Our Hair When We're Gone?

Noticia de última hora: Os agentes da polícia de Montreal, no Canadá, acabam de prender Nicholas "Neil", Diamonds, Alden Ginger e Jamie Thompson, três adolescentes que se vestem com smokings brancos e cor-de-rosa e dizem pertencer a um agrupamento musical chamado “The Unicorns”. O comandante da polícia, John Kramer, nega ter encontrado qualquer unicórnio no local do crime, mas admite ter confiscado flautas verdes habitualmente usadas nas aulas de Educação Musical do 7º ano, orgãos comprados na feira de Montreal, guitarras desafinadas e uma bateria em 3ª mão. Todos estes objectos seriam alegadamente utilizados naquilo que John Kramer classifica de “chinfrim pop e algazarra alucinante”.

O resto do texto que escrevi sobre o disco, pode ser encontrado, aqui.


O pianista Cecil Taylor, acompanhado do baterista Tony Oxley, duas figuras importantes do Jazz contemporâneo, vão actuar no Coliseu dos Recreios, em Lisboa, nos dias 13 e 14 de Fevereiro.
Sons de hoje

16 Horsepower - Secret South
Logh - The Raging Sun
The Shins - Chutes Too Narrow
The Unicorns - Who Will Cut Our Hair When We're Gone
Tom Waits - Alice
Kid Loco - Kill Your Darlings
Bad Brains - Bad Brains
Tortoise - It's All Around You
Lucinda Williams - World Without Tears
Nina Nastasia - Run To Ruin
Neil Young - Freedom
Talk Talk - The Colour of Spring
Mark Mulcahy - Fathering
Dakota Suite - Songs for a Barbed Wire Fence

terça-feira, fevereiro 10, 2004

Sons de um dia Psicológico

Xela - For Frosty Mornings And Summer Nights
Sonic Youth - Goo
Led Zeppelin - Led Zeppelin II
Radiohead - Ok Computer
Led Zeppelin - Led Zeppelin IV
Pink Floyd - Animals
Sleater-Kinney - Call the Doctor
Norah Jones - Feels Like Home
Neil Young - Harvest Moon
Bedhead - Bedheaded

segunda-feira, fevereiro 09, 2004



De acordo com a noticia do Cotonete, Gary Jules, que se tornou conhecido pela sua versão de "Mad World", um original dos Tears for Fears, incluida na banda sonora de "Donnie Darko", vai estar em Portugal, no mês de Maio, para um ou mais concertos.


Zeena Parkins, a harpista que habitualmente acompanha a Islandesa Björk, apresenta-se ao vivo no Porto, dia 14 de Fevereiro, para musicar a coreografia "Shot", de Jennifer Lacey. No dia seguinte, 15 de Fevereiro, apresenta-se a solo para um Recital.


No próximo mês de Abril, no Teatro Carlos Alberto, no Porto, vai decorrer o Cross-Talk, festival de Jazz organizado por Pedro Mendes. A agenda de concertos é a que se segue:

27 de Abril - Evan Parker Electro-Acoustic Ensemble (na foto)
28 de Abril - Akosh S. Unit
29 de Abril - Ellery Eskelin Trio
30 de Abril - William Parker Violin Trio
Sons de hoje

JJ72 - JJ72
Telefon Tel Aviv - Fahrenheit Fair Enough
Mark Mulcahy - Fathering
Mick Turner - Marlan Rosa
Xela - For Frosty Mornings And Summer Nights
Mono - Under The Pipal Tree
Growing - Sky's Run Into The Sea
Eluvium - Lambent Material
Surface Of Eceon - The King Beneath The Mountain
Explosions In The Sky - How Strange, Innocence
Red House Painters - Ocean Beach
Joni Mitchell - Blue

domingo, fevereiro 08, 2004

Sons de hoje

The Rapture - Echoes
Tindersticks - Simple Pleasure
Xela - For Frosty Mornings And Summer Nights
Colleen - Everyone Alive Wants Answers
Spring Heel Jack - Versions
Red House Painters - Down Colorful Hill
Telefon Tel Aviv - Fahrenheit Fair Enough
Mono - Under The Pipal Tree
Morphine - The Night
Dave Matthews Band - Before These Crowded Streets
Explosions In The Sky - How Strange, Innocence
Sigur Rós - ()

© André Gomes

Os amigos

Esses estranhos que nós amamos
e nos amam
olhamos para eles e são sempre
adolescentes, assustados e sós
sem nenhum sentido prático
sem grande noção da ameaça ou da renúncia
que sobre a luz incide
descuidados e intensos no seu exagero
de temporalidade pura

Um dia acordamos tristes da sua tristeza
pois o fortuito significado dos campos
explica por outras palavras
aquilo que tornava os olhos incomparáveis

Mas a impressão maior é a da alegria
de uma maneira que nem se consegue
e por isso ténue, misteriosa:
talvez seja assim todo o amor

José Tolentino de Mendonça


O "Baile dos Vampiros", evento inserido na próxima edição do Fantasporto, vai ter ter como "actores principais" o francês Kid Loco, e os portugueses X-Wife que recentemente editaram o seu disco de estreia, "Feeding the Machine". Os concertos têm data marcada para o dia 23 de Fevereiro, e vão acontecer no Teatro Sá da Bandeira, no Porto.

sábado, fevereiro 07, 2004


Telefon Tel Aviv - Map of What Is Effortless

Para quem conhece os Telefon Tel Aviv de Fahrenheit Fair Enough, registo primeiro que data de 2001, o mais recente lançamento da dupla Joshua Eustis / Charles Cooper constitui uma clara viragem de sonoridade e tentativa de exploração de novas áreas. Este é um disco que aposta, primeiro, na introdução de vocalizações (ao contrário do primeiro disco, que era composto por temas apenas instrumentais), nomeadamente de Lindsay Anderson dos L’altra e Damon Aaron e de uma secção de cordas que ficou a cargo da Orquestra da Universidade de Loyola e, em segundo lugar, na abordagem do soul e do R&B, sem nunca esquecer o propósito inicial: a electrónica e o techno ambiental.

Para ver o resto do texto, clicar aqui.
Mogwai. Hard Club. Gaia. 6 de Fevereiro de 2004



Atenção! Isto é uma introdução!

A propósito do ultimo album de originais dos Explosions in the Sky, Hartley Goldstein, crítico da Pitchforkmedia, diz: “One of the most impressive aspects of The Earth Is Not a Cold Dead Place is that it feels constantly in flux, growing and transforming with every note. While this achievement would be notable in any genre, in the ceaselessly masturbatory realm of post/indie/prog-rock (really folks, let's just call it "music"), where bands either take far too long to arrive anywhere (Godspeed You! Black Emperor), or just don't have anyplace special to go (Mogwai), bands that avoid both seem increasingly rare finds.”

Como cheguei atrasado ao Hard Club, já só consegui apanhar as duas últimas canções de Malcolm Middleton, a cara metade da dupla escocesa Arab Strap, que coincidiam com a indiferença e o rúido da maior parte do público que assistia à actuação. Essas duas últimas canções foram “The King of Bring” a melhor canção do seu album de estreia “5:14 Fluoxytine Seagull Alcohol John Nicotine” onde Malcolm faz o elogio da melancolia e solidão quando diz “I'm only happy when I'm sad and my good times are all bad. And my best years have all left me along with you. When I'm up, I'm still down, and my smile is my frown. I'm a clown, I'm still falling away from you.” e “Devil and the Angel” que curiosamente termina também o disco de estreia. Porque se fez acompanhar apenas de uma guitarra acústica, as músicas perderam um pouco da magia registada no disco, mas não o suficiente para fazer com que as canções não resultassem bem ao vivo.
Por volta das 23 horas, os cinco membros dos Mogwai subiam ao palco. A delegação escocesa munia-se de um baixo, uma bateria, duas guitarras e um orgão e do último album de originais “Happy Songs for Happy People” que foi o principal alvo da actuação. Do disco de 2003 foram apresentadas "Hunted by a Freak", "Killing all the Flies" e "Ratts of the Capital" que, depois da habitual escalada que começa silenciosamente para depois ir aumentando em perfeito crescendo, acabou naquela que foi uma das maiores explosões sonoras de todo o concerto. E é aqui que os Mogwai são perfeccionistas; no caos e na explosão de som que às vezes parecia não caber dentro do recinto, não tanto na criação, na escalada até ao cume.
Há um claro contraste entre as canções de “Come on Die Young” e dos Eps para as canções de “Happy songs for happy People”. Enquanto que as primeiras são rudes, ásperas, as segundas são melífluas, doces e mesmo quando rebentam em estrondo, quando se espandem, mantêm a brandura, a suavidade. Tal como o título diz, são canções de gente feliz para gente feliz, com esperança. E fluem como o mais benévolo dia de Verão. Mesmo o Vocoder, que em disco parece delambido e sem vivacidade, em concerto torna as canções ainda mais consistentes e melodiosas.
Depois do encore, os Mogwai voltaram para uma versão irrepreensível de "Christmas Steps", ou a canção que mais agitação e balbúrdia causou no meio da assistência. Começa com uma introdução quase em silêncio, desemboca em golpes secos na guitarra do front-man dos Mogwai para depois regressar à surdina inicial. Para finalizar uma das melhores contruções dos Mogwai. “Mogwai fear Satan” é uma parede melódica construída pelas guitarras, que resulta – adivinharam – em repetidos crescendos agudos.
Mentiria se dissesse não me ter lembrado várias vezes do concertos dos Explosions in the Sky, durante a actuação dos Mogwai. Mas nem aquilo que é, algumas vezes, a falta de uma direcção ou de um caminho lógico a seguir, impediu que o concerto fosse bom. Talvez com um alinhamento diferente tivesse sido melhor. Talvez com outras canções tivesse saído (ainda mais) com aquele agradável zumbido nos ouvidos que significa, quase invariavelmente, que se fez rock.
Sons de um dia Segmentado

Radiohead - Hail to the Thief
Mono - One Step More And You Die
Patti Smith - Land (1975-2002)
Fugazi - End hits
Hipnótica - Decode
The Books - The Lemon Of Pink
Mick Turner - Marlan Rosa
Dakota Suite - Songs for a Barbed Wire Fence
Appendix Out - Daylight Saving

sexta-feira, fevereiro 06, 2004



Lisboa recebeu ontem os Mogwai para o primeiro de dois concertos no nosso país. O Nuno gostou e diz a propósito:

"É necessidade de ver, por uns instantes, o que há para lá do limiar de sobrevivência. Três guitarras de melodias mágicas, um baixo e um orgão a desenharem vectores sobre estas sem pedir licença, uma bateria em elevada adrenalina, e algumas vozes com letras imperceptíveis - o que os Mogwai usaram para dar a conhecer o seu talento alquimista. Foi preciso esperar que ele vencesse a guerra de independência, mas a volta de triunfo valeu a pena."

Hoje é a vez do Hard Club, em Gaia, receber os Escoceses que lançaram em 2003 "Happy Songs for Happy People".

Alinhamento do concerto de Lisboa:

Kids Will Be Skeletons
Mogwai Fear Satan
Hunted By A Freak
Ithica 27 o 9
I Know You Are But What Am I
You Don't Know Jesus
Killing All The Flies
Stanley Kubrick
2 Rights Make 1 Wrong
Ratts Of The Capital

Encore

Helicon 1
My Father My King
Sons de hoje

Aurore Rien - Telesthia EP
Telefon Tel Aviv - Fahrenheit Fair Enough
The Boxhead Ensemble - The Last Place To Go
Tortoise - Millions Now Living Will Never Die
Tristeza - Spine and Sensory
Billy Mahonie - The Big Dig
A Silver Mt. Zion - He Has Left Us Alone But Shafts of Light Sometimes Grace the Corners of Our Rooms
Tortoise - Standards
The Boxhead Ensemble - Two Brothers
Mick Turner - Marlan Rosa

© André Gomes

Sobrevivo

Sobrevivo
assim
casa vazia
em vasto mundo.

E tu mais dócil
em teu fiel
e paciente inferno
de enormes estrelas.

Sono de morte
sou voo raso
adagio breve
salmo e nostalgia.

Aqui nascemos
e voltamos
mortos
na memória
doce espiral,
de um tão
escasso fulgor.

Ana Marques Gastão


O Grande Peixe de Tim Burton

Will Bloom regressa à sua terra natal, pois o seu pai encontra-se gravemente doente e resta-lhe pouco tempo de vida. O pai de Will é um grande contador de histórias. Serve-se da sua própria história pessoal para criar grandes aventuras que depois vai contando às pessoas com quem se cruza. No entanto, Will, devido a estas histórias fantásticas que o seu pai lhe contava, acredita não conhecer realmente o seu pai, e aproveita os últimos dias em que podem estar juntos, para descobrir a verdade, pesquisando sobre o seu passado.
O pai contara-lhe histórias incríveis, situações surreais. Desde histórias de como tinha trabalhado num circo durante três anos para poder ter a sua esposa, de como tinha sido militar no exército e tinha estado numa missão de alto risco, de como tinha trabalhado como vendedor ambulante, passando pela compra de uma vila. Bruxas, gigantes, uma vila perfeita que parecia retirado de um quadro de familia e uma viagem cheia de figuras excêntricas e de situações delirantes. No fim, a procura da verdade, ou pelo menos a procura de fugir à ilusão. Ilusão essa criada no intuito de escapar um pouco à monotonia e transformar o mundo num sitio melhor. E vai ser na reconciliação do pai e do filho, que Will vai criar a morte do seu próprio pai, na sua mente, tal como o pai tinha visto no Olho da Bruxa. E isso coincide com o apagar dos fantasmas, o acalmar das memórias.
Big Fish é sobretudo um filme que nos mostra como é possível, de maneira fácil e proveitosa, dar um pouco mais de magia à nossa vida e às nossas memórias e viver cada dia como se de uma nova aventura se tratasse.

quinta-feira, fevereiro 05, 2004

Sons de hoje

Morphine - Cure for Pain
Mark Mulcahy - Fathering
Will Oldham - Joya
David Bowie - Heathen
Telefon Tel Aviv - Fahrenheit Fair Enough
Matmos - Civil War
Múm - Yesterday Was Dramatic - Today Is OK
Dntel - Life Is Full of Possibilities
Mogwai - Rock Action
Aurore Rien - Sedative for the Celestial Blue
The Afghan Whigs - Gentlemen
Dakota Suite - Songs for a Barbed Wire Fence
Red House Painters - Down Colorful Hill

© André Gomes

Um céu e nada mais

Um céu e nada mais - que só um temos,
como neste sistema: só um sol.
Mas luzes a fingir, dependuradas
em abóbada azul - como de tecto.
E o seu número tal, que deslumbrados
eram os teus olhos, se tas mostrasse,
amor, tão ribalta azul, como de
circo, e dança então comigo no
trapézio, poema em alto risco,
e um levíssimo toque de mistério.
Pega nas lantejoulas a fingir
de sóis mal descobertos e lança
agora a âncora maior sobre o meu
coração. Que não te assuste o som
desse trovão que ainda agora ouviste,
era de deus a sua voz, ou mito,
era de um anjo por demais caído.
Mas, de verdade: natural fenómeno
a invadir-te as veias e o cérebro,
tão frágil como álcool, tão de
potente e liso como álcool
ímplodindo do céu e das estrelas,
imensas a fingir e penduradas
sobre abóbada azul. Se te mostrasse,
amor, a cor do pesadelo que por
aqui passou agora mesmo, um céu
e nada mais -que nada temos,
que não seja esta angústia de
mortais (e a maldição da rima,
já agora, a invadir poema em alto
risco), e a dança no trapézio
proibido, sem rede, deus, ou lei,
nem música de dança, nem sequer
inocência de criança, amor,
nem inocência. Um céu e nada mais.

Ana Luísa Amaral

quarta-feira, fevereiro 04, 2004

Sons de hoje

Joe Strummer & the Mescaleros - Streetcore
Growing - Sky's Run Into The Sea
Black Rebel Motorcycle Club - Take Them On, On Your Own
Refused - Songs to Fan the Flames of Discontent
João Gilberto - The Legendary João Gilberto
JJ72 - I To Sky
Mojave 3 - Ask Me Tomorrow
Belle & Sebastian - If You're Feeling Sinister
Joy Division - An Ideal for Living EP
Bonnie 'Prince' Billy - Ease Down The Road
Red House Painters - Down Colorful Hill
Dakota Suite - Songs for a Barbed Wire Fence

terça-feira, fevereiro 03, 2004



Os Pixies anunciaram oficialmente o seu regresso. Os autores de Surfer Rosa, separados desde 1993, esperam estar juntos por "vários e vários anos" e marcaram já vários concertos para o mês de Maio. Esperemos que Lisboa e Porto sejam incluídos na digressão.
Sons de hoje

Mogwai - Ten Rapid
Rage Against The Machine - The Battle of Los Angeles
Telefon Tel Aviv - Map of What Is Effortless
Gang of Four - Shrinkwrapped
Mono - Under The Pipal Tree
Old Jerusalem - April
Johnny Cash - American III - Solitary Man
John Parish & Polly Jean Harvey - Dance Hall at Louse Point
Mono - One Step More And You Die
Gwei-Lo - Gwei-Lo
Maximilian Hecker - Rose
Appendix Out - Daylight Saving

segunda-feira, fevereiro 02, 2004

Sons de um dia Doutrinário

The Vicious Five - The Electric Chants of the Disenchanted EP
Low - Murderer EP
Outkast - Speakerboxxx / The Love Below
Appendix Out - Daylight Saving
Telefon Tel Aviv - Fahrenheit Fair Enough
Mono - One Step More And You Die
Godspeed You Black Emperor! - Slow Riot For A New Zero Kanada EP
Bedhead - Bedheaded

domingo, fevereiro 01, 2004


© André Gomes

E o meu silêncio

Estende o teu braço, com a penugem loira na pele ainda
bronzeada, para mim, rapariga. O meu rosto é provável
que seja, entre as montras das lojas e as árvores, igual
ao de toda a gente. Anónimo, porém, não o sou. Não o são
as próprias pedras, as janelas, e sei quanto
do amor e da nossa história falam os caminhos estreitos
que levam de todas as cidades para o campo.
O teu olhar azul deixa-o estar em mim um pouco mais,
eu também tive infância e perdi-a, adolescência
e perdi-a, e o meu silêncio
é apenas desejo de estilo, dignidade.
O meu espírito, como cansado, dorme. Mas sopra tu
com o vento do teu olhar: talvez eu possa
de novo ir ao campo, contemplar a água dos rios,
sentar-me, inocente e intranquilo, nas esplanadas dos café
a ver o sol que bate como o oiro na pedra das casas.

João Camilo
Sons de hoje

The Vicious Five - The Electric Chants of the Disenchanted
Spring Heel Jack - Versions
Bedhead - Bedheaded
Dakota Suite - Songs for a Barbed Wire Fence
The American Analog Set - The Golden Band
Jolie Holland - Catalpa
Low - Murderer EP
Mark Mulcahy - Fathering
Red House Painters - Red House Painters II