quarta-feira, julho 30, 2003


Mercury Rev

Little Rhymes

Stairs.... to nowhere climb
I take them......all the time
Crawling on my knees
Walking that old fine line

And when I'm alone and scared
I think up little rhymes
They would make no sense to you
But I make them all the time

And time is all mine
And time is all mine

It's the little pills you find
Crushed to dust, rolling out of sight
They and up in the strangest places
But I take them all the time

And time is all mine
And time is all mine

When everyone... is false
I tell them I'm just fine
I can't... remember their names
But I fake them all the time

And time is all mine
And time is all mine

And time is all mine
And time is all mine

And when I'm alone and scared
I think up little rhymes
They would make no sense to you
But I make them all the time

Yo La Tengo

Today is the Day

I followed you ... foolishly
You were at a smoky bar, you were out til three
Sat alone inside my car, it was nearly four
We were gonna wait for you all night
So i locked the door

I was gonna spend the night, coulda been okay
We were gonna talk all night, till i went away
Remember how you used to say, can't stay up late
A minute later we're older now, i can't stay awake
I'm driving by your parent's farm, in the Chevrolet
I remember that rusty car, like it was yesterday

Saw my brother driving by, the other day
I wished that i'd go out to him, but he drove away
Saw my sister standing there, standing in rain
Then i thought about nothing, that it feels the same

Another day, come and gone
Don't think i can ever sing that song
Little secrets we bring along
I'm taking my time, trailing behind, i thought of you
Today is the day i think of you
Ave da Esperança

Passo a noite a sonhar o amanhecer.
Sou a ave da esperança.
Pássaro triste que na luz do sol
Aquece as alegrias do futuro,
O tempo que há-de vir sem este muro
De silêncio e negrura
A cercá-lo de medo e de espessura
Maciça e tumular;
O tempo que há-de vir - esse desejo
Com asas, primavera e liberdade;
Tempo que ninguém há-de
Corromper
Com palavras de amor, que são a morte
Antes de se morrer.

Miguel Torga
1/5 de século. 2 décadas. 20 anos. Como queiram. Passaram a voar. Um abraço aos amigos(as) que se lembraram.

terça-feira, julho 29, 2003

Aos olhos dele

Não acredito em nada. As minhas crenças
Voaram como voa a pomba mansa;
Pelo azul do ar. E assim fugiram
As minhas doces crenças de criança.

Fiquei então sem fé; e a toda a gente
Eu digo sempre, embora magoada:
Não acredito em Deus e a Virgem Santa
É uma ilusão apenas e mais nada!

Mas avisto os teus olhos, meu amor,
Duma luz suavíssima de dor...
E grito então ao ver esses dois céus:

Eu creio, sim, eu creio na Virgem Santa
Que criou esse brilho que m'encanta!
Eu creio, sim, creio, eu creio em Deus!

Florbela Espanca


Paris, Texas de Wim Wenders é um filme sobre ser pai, ser filho e sobre amar através de um espelho.

segunda-feira, julho 28, 2003



Já falta menos de um mês para eu te ver a pôr em fogo o recinto de Paredes de Coura.

Por aqui ... Yeah Yeah Yeahs - Yeah Yeah Yeahs EP


Frémito do meu corpo a procurar-te,
Febre das minhas mãos na tua pele
Que cheira a âmbar, a baunilha e a mel,
Doido anseio dos meus braços a abraçar-te,

Olhos buscando os teus por toda a parte,
Sede de beijos, amargor de fel,
Estonteante fome, áspera e cruel,
Que nada existe que a mitigue e a farte!

E vejo-te tão longe! Sinto a tua alma
Junto da minha, uma lagoa calma,
A dizer-me, a cantar que me não amas...

E o meu coração que tu não sentes,
Vai boiando ao acaso das correntes,
Esquife negro sobre um mar de chamas...

Florbela Espanca

Tindersticks

Travelling Light

There are places I don't remember
There are times and days, they mean nothing to me
I've been looking through some of them old pictures
They don't serve to jog my memory

I'm not waking in the morning, staring at the walls these days
I'm not getting out the boxes, spread all over the floor
I've been looking through some of them old pictures
Those faces they mean nothing to me no more

I travel light
You travel light
Everything I've done
You say you can justify, mmm you travel light
I can't pick them out, I can't put them in these sad old bags
Some things you have to lose along the way
Times are hard, I'll only pick them out, wish I was going back
Times are good, you'll be glad you ran away

Do you remember, how much you loved me?
You say you have no room in that thick old head
Well it comes with the hurt and the guilt, and the memories
If I had to take them with me I would never get from my bed
There's a crack in the roof where the rain pours through
That's the place you always decide to sit
Yeah I know I'm there for hours, the water running down (my) (your)face
Do you really think you keep it all that well hid?

No but I travel light
You don't travel light
Everything I've done
It's just a lie, you don't travel light

I'm travelling light
No you don't travel light
I'm travelling light
No, no, you don't travel light
I'm travelling light
You don't travel light

domingo, julho 27, 2003



O melhor as vezes é juntar meia dúzia de palavras a sorte e simplesmente esperar que elas façam sentido só por si.


Façam um favor a vocês mesmos. Convidem alguém de quem gostam e vão ver "Sonhos Desfeitos" ao cinema. É o meu filme do ano e um dos filmes da minha vida.


The sky may have no stars, but your eyes shine more than a whole constellation.

sábado, julho 26, 2003


Nick Cave

Love Letter

I hold this letter in my hand
A plea, a petition, a kind of prayer
I hope it does as I have planned
Losing her again is more than I can bear
I kiss the cold, white envelope
I press my lips against her name
Two hundred words. We live in hope
The sky hangs heavy with rain

Love Letter Love Letter
Go get her Go get her
Love Letter Love Letter
Go tell her Go tell her

A wicked wind whips up the hill
A handful of hopeful words
I love her and I always will
The sky is ready to burst
Said something I did not mean to say
Said something I did not mean to say
Said something I did not mean to say
It all came out the wrong way

Love Letter Love letter
Go get her Go get her
Love Letter Love letter
Go tell her Go tell her

Rain your kisses down upon me
Rain your kisses down in storms
And for all who'll come before me
In your slowly fading forms
I'm going out of my mind
Will leave me standing in
The rain with a letter and a prayer
Whispered on the wind

Come back to me
Come back to me
O baby please come back to me
Há noites assim. Podia ter ficado deitado na areia a noite toda. Podia ter ficado a ouvir Buckley até amanhecer. Já fui pedir Buckley, já roubei uma caneta e um blitz desde que te conheci. Ah, se eu pudesse trazer comigo esse sorriso e esse brilho nos teus olhos ...
Blur - Sweet Song

What am I to do
Someone here is really not happy
Put myself on a line
It seems I never got through to you
So I wean myself off slowly

I'm a darkened soul
My streets all pop music and gold
All our lives are on TV
You switch off and try to sleep
People get so lonely

I believe I believe I believe
Everything's out to sea
I believe I believe I believe I believe
That is the way it should be
I hope you feel the same

Everyone is dying
Stop crying now here comes the sun
I didn't mean to hurt you no no no
It takes time to see what you have done
So I wean myself off slowly

I believe I believe I believe
Love is the only one
I deceive I deceive I deceive I deceive
Cos' I'm not that strong
Hope you feel the same

And now it seems that we're falling apart
But I hope I see the good in you come back again
I just believed in you

Hoje apetece-me ouvir esta música umas 200 vezes seguidas ...

sexta-feira, julho 25, 2003



Comprei hoje este disco. O primeiro disco de um senhor cuja voz aquece, abraça. Canções simples acompanhadas por guitarra e piano e com letras excelentes. Na primeira audição destaco este tema e esta letra.

I Hope That I Don't Fall in Love With You

Well I hope that I don't fall in love with you
Cause falling in love just makes me blue,
While the music plays and you display your heart for me to see,
I had a beer and now I hear you calling out for me
And I hope that I don't fall in love with you.

Well the room is crowded, people everywhere
And I wonder, should I offer you a chair?
Well if you sit down with this old clown, take that frown and break it,
Before the evening's gone away, I think that we could make it,
And I hope that I don't fall in love with you.

Well the night does funny things inside a man
These old tom-cat feelings you don't understand,
Well I turn around to look at you, you light a cigarette,
I wish I had the guts to bum one, but we've never met,
And I hope that I don't fall in love with you.

I can see that you are lonesome just like me,
and it being late, you'd like some company,
Well I turn around to look at you, and you look back at me,
The guy you're with he's up and splits, the chair next to you's free,
And I hope that you don't fall in love with me.

Now it's closing time, the music's fading out
Last call for drinks, I'll have another stout.
Well I turn around to look at you, you're nowhere to be found,
I search the place for your lost face, guess I'll have another round
And I think that I just fell in love with you.

quinta-feira, julho 24, 2003


Sérgio Godinho

A Barca Dos Amantes

Ah, quanto eu queria navegar
p´ra sempre a barca dos amantes
onde o que eu sei deixei de ser
onde ao que eu vou não ia dantes
Ah, quanto eu queria conseguir
trazer a barca à madrugada
e desfraldar o pano branco
na que for terra, mais amada
E que em toda a parte
o teu corpo
seja o meu porta-estandarte
plantado no seu mais fundo
posso agitar-me no vento
e mostrar a cor ao mundo
Ah, quanto eu queria navegar
p´ra sempre a barca dos amantes
onde o que eu vi me fez vogar
de rumos meus a cais errantes
Ah, quanto eu queria me espraiar
fazer a trança à calmaria
avistar terra, e não saber
se ainda o é, quando for dia
E que em toda a parte
o teu corpo
seja o meu porta-estandarte
plantado no seu mais fundo
posso agitar-me no vento
e mostrar a cor ao mundo

Heather Nova

Island

There are parts of me he'll never know,
My wild horses and my river beds,
And in my throat voices he'll never hear.
He pulls at me like a cherry tree,
And I can still move, but I don't speak about it.
Pretend I'm crazy, pretend I'm dead.
He's to scared to hit me now, he'll bring flowers instead.

I need an island, somewhere to sink a stone
I need an island, somewhere to bury you,
Somewhere to go.

And the dogwoods shimmer in October sun,
"Oh sweet thing" he sings to me, "You're the only one."

I need an island, somewhere to sink a stone
I need an island, somewhere to bury you, somewhere
I need an island, somewhere to sink a stone
I need an island, somewhere to bury you, somewhere to go.

And I don't know why I can't tell my sister,
He spat in my face again, and I don't want to die here.
You know that dream when your feet won't move,
you want to come but your body won't let you.
He steals it from me. He steals it from me.
It shines like sweat, like jewels,
Like something that has died to soon.
He fucks with the beauty.
A kiss, a kick, a kiss, a kick, a kiss kiss kick.
He steals it from me.
It's out of my hands again.

I need an island, somewhere to sink a stone
I need an island, somewhere to bury you,
Somewhere to go, to go...

quarta-feira, julho 23, 2003


The Sex Pistols

Ontem vi um fabuloso documentário no M6 sobre o Punk. Falou-se de Dead Boys, The Clash, Buzzcocks, X-Ray Spex, Suicide, Siouxsie & the Banshees entre outros. Obviamente, o documentário focava os Sex Pistols e o fenómeno à volta da banda; programas de televisão que acabavam em confusão, uma entrevista num quarto com toda a banda, a intervenção policial nos concertos, os ideais "anti-tudo", um Reino Unido transformado e confuso, imagens dos concertos mais importantes e obviamente os últimos dias de Sid Vicious de braço dado com a heroina. Um documentário essencial.


Está descoberta a verdade. Afinal as T.A.T.U. são apenas uma associação de jovens contra o uso do tabaco. Podem comprovar aqui..

Highlands - Escócia

Até então, só visto nos filmes. É assombroso e fascinante. Cenários surreais, imagens que nunca vou esquecer.


Jeff Buckley

Grace

There's the moon asking to stay
Long enough for the clouds to fly me away
Well it's my time coming, i'm not afraid to die
My fading voice sings of love,
But she cries to the clicking of time
Of time

Wait in the fire...

And she weeps on my arm
Walking to the bright lights in sorrow
Oh drink a bit of wine we both might go tomorrow
Oh my love
And the rain is falling and i believe
My time has come
It reminds me of the pain
I might leave
Leave behind

Wait in the fire...

And I feel them drown my name
So easy to know and forget with this kiss
I'm not afraid to go but it goes so slow

Não podes dizer que eu não pedi ...


Mars Volta em Parades de Coura. O cartaz parece, assim, estar fechado.

O cartaz completo e as informações mais importantes aqui.

terça-feira, julho 22, 2003



Imagem do dia.

Arco-íris Marinho

Taipé.
Fonte - I

Ela é a fonte. Eu posso saber que é
a grande fonte
em que todos pensaram. Quando no campo
se procurava o trevo, ou em silêncio
se esperava a noite,
ou se ouvia algures na paz da terra
o urdir do tempo ---
cada um pensava na fonte. Era um manar
secreto e pacífico.
Uma coisa milagrosa que acontecia
ocultamente.

Ninguém falava dela, porque
era imensa. Mas todos a sabiam
como a teta. Como o odre.
Algo sorria dentro de nós.

Minhas irmãs faziam-se mulheres
suavemente. Meu pai lia.
Sorria dentro de mim uma aceitação
do trevo, uma descoberta muito casta.
Era a fonte.

Eu amava-a dolorosa e tranquilamente.
A lua formava-se
com uma ponta subtil de ferocidade,
e a maçã tomava um princípio
de esplendor.

Hoje o sexo desenhou-se. O pensamento
perdeu-se e renasceu.
Hoje sei permanentemente que ela
é a fonte.

Herberto Helder

segunda-feira, julho 21, 2003

O cartaz de Paredes de Coura deve estar próximo de fechar. Foram confirmadas mais duas bandas para o dia Reggae e outras duas bandas para o dia de encerramento. One Love Family e Mercado Negro e The Cardigans e Mew, respectivamente, sao as novas aquisiçoes.

E falta já menos de um mes para Paredes de Coura ...





Jorge Palma

No bairro do amor a vida é um carossel
Onde há sempre lugar para mais alguém
O bairro do amor foi feito a lápis de cor
Por gente que sofreu por não ter ninguém

No bairro do amor o tempo morre devagar
Num cachimbo a rodar de mão em mão
No bairro do amor há quem pergunte a sorrir:
Será que ainda cá estamos no fim do verão?

Eh , pá , deixa-me abrir contigo
Desabafar contigo
Falar-te da minha solidão
Ah, é bom sorrir um pouco
Descontrair um pouco
Eu sei que tu compreendes bem

No bairro do amor a vida corre sempre igual
De café em café , de bar em bar
No bairro do amor o sol parece maior
E há ondas de ternura em cada olhar

O bairro do amor é uma zona marginal
Onde não há prisões nem hospitais
No bairro do amor cada um tem que tratar
Das suas nódoas negras sentimentais

Eh , pá , deixa-me abrir contigo
Desabafar contigo
Falar-te da minha solidão
Ah, é bom sorrir um pouco
Descontrair um pouco
Eu sei que tu compreendes bem


Um em cada dois norte-americanos duvida de Bush
Um norte-americano em dois (51 por cento) duvida da capacidade do presidente George W. Bush para liderar o país, segundo uma sondagem Time/CNN a publicar segunda-feira.

Dê-lhe forte, Senhor Bush!
O resto da noticia, aqui.

domingo, julho 20, 2003



Inserido no cartaz do Festival de Paços de Brandão, assisti ontem pela primeira vez a um concerto de Maria João e Mário Laginha. Não estiveram acompanhados de mais músicos; em palco só o piano e voz. Desfilaram temas dos albuns de originais da dupla, mas também temas do último registo, Undercovers, entre os quais se destacam as versões de temas dos The Beatles, Tom Jobim e Prince. Maria João, descalça, dançava pelo palco em movimentos, ora pensados e delicados, ora desconcertados e bruscos. Mário Laginha é a parte discreta da dupla. Ambos, proporcionaram um concerto muito agradável e uma noite diferente a todos os que tiveram presentes.
Clã - Problema De Expressão

Só pra dizer que te Amo,
Nem sempre encontro o melhor termo,
Nem sempre escolho o melhor modo.

Devia ser como no cinema,
A língua inglesa fica sempre bem
E nunca atraiçoa ninguém.

O teu mundo está tão perto do meu
E o que digo está tão longe,
Como o mar está do céu.

Só pra dizer que te Amo
Não sei porquê este embaraço
Que mais parece que só te estimo.

E até nos momentos em que digo que não quero
E o que sinto por ti são coisas confusas
E até parece que estou a mentir,
As palavras custam a sair,
Não digo o que estou a sentir,
Digo o contrário do que estou a sentir.

O teu mundo está tão perto do meu
E o que digo está tão longe,
Como o mar está do céu.

E é tão difícil dizer amor,
É bem melhor dizê-lo a cantar.
Por isso esta noite, fiz esta canção,
Para resolver o meu problema de expressão,
Pra ficar mais perto, bem mais de perto.
Ficar mais perto, bem mais de perto.


Nick Drake

From The Morning

A day once dawned, and it was beautiful
A day once dawned from the ground
Then the night she fell
And the air was beautiful
The night she fell all around.

So look see the days
The endless coloured ways
And go play the game that you learnt
From the morning.

And now we rise
And we are everywhere
And now we rise from the ground
And see she flies
And she is everywhere
See she flies all around

So look see the sights
The endless summer nights
And go play the game that you learnt
From the morning


Passei as minhas duas últimas noites ( Sexta e sábado ) em Esmoriz. Duas noites muito agradáveis. Amigos, grandes conversas, muitas histórias, pessoas que já não via há muito tempo, caras conhecidas e caras por conhecer. Saí disto tudo com um fim de semana divertido e mais um número no telemóvel.

sexta-feira, julho 18, 2003

Não resisti e dei-te mesmo os parabéns; espero que os gozes. Estive um ano todo a pensar em não tos dar, só hoje me decidi.

Ah, e voltei a ouvir o Ok Computer após algum tempo de afastamento involuntário.

quinta-feira, julho 17, 2003



A última banda apontada para Paredes de Coura são os Blasted Mechanism. É verdade que a escolha não é particularmente original, e existem muitas outras propostas mais interessantes, mas antes eles do que os Plástica.
Há letras que pela sua simplicidade e/ou "infantilidade" se tornam viciantes. Esta é uma delas. Quem nunca cantou o refrão desta música que se acuse.



Já sei namorar
Já sei beijar de língua
Agora, só me resta sonhar
Já sei onde ir
Já sei onde ficar
Agora, só me falta sair

Não tenho paciência pra televisão
Eu não sou audiência para a solidão

Eu sou de ninguém
Eu sou de todo mundo
E todo mundo me quer bem
Eu sou de ninguém
Eu sou de todo mundo
E todo mundo é meu também

Já sei namorar
Já sei chutar a bola
Agora, só me falta ganhar
Não tenho juiz
Se você quer a vida em jogo
Eu quero é ser feliz

Não tenho paciência pra televisão
Eu não sou audiência para a solidão

Eu sou de ninguém
Eu sou de todo mundo
E todo mundo me quer bem
Eu sou de ninguém
Eu sou de todo mundo
E todo mundo é meu também

Tô te querendo como ninguém
Tô te querendo como Deus quiser
Tô te querendo como eu te quero
Tô te querendo como se quer
Estes são os 10 albuns que mais me marcam, hoje. O hoje não é um erro; é que amanhã já podem ser outros 10. Isto de fazer listas tem os seus inconvenientes. E não é a lista dos melhores, mas sim a dos "mais importantes". It goes like this ...


Radiohead - Ok Computer


Jeff Buckley - Grace


Placebo - Without You I'm Nothing


Pink Floyd - The Division Bell


Sigur Rós - Agaetis Byrjun


Belle & Sebastian - The Boy With The Arab Strap


Godspeed You Black Emperor! - F#A# (Infinity)


Led Zeppelin - Led Zeppelin II


Nitin Sawhney - Beyond Skin


Neil Young - Harvest Moon

quarta-feira, julho 16, 2003



"A cantora norte-americana Beyonce Knowles está a ser alvo de fortes críticas por parte de um grupo de historiadores, por ter dançado sobre a campa de um ex-Presidente dos Estados Unidos. "

Resta saber se Monica Lewinsky fará o mesmo na campa de Bill Clinton.
Último Soneto

Que rosas fugitivas foste ali:
Requeriam-te os tapetes – e vieste...
– Se me dói hoje o bem que me fizeste,
É justo, porque muito te devi.

Em que seda de afagos me envolvi
Quando entraste, nas tardes que apareceste –
Como fui de percal quando me deste
Tua boca a beijar, que remordi...

Pensei que fosse o meu o teu cansaço –
Que seria entre nós um longo abraço
O tédio que, tão esbelta, te curvava...

E fugiste... Que importa ? Se deixaste
A lembrança violeta que animaste
Onde a minha saudade a Cor se trava?...

Mário de Sá-Carneiro

terça-feira, julho 15, 2003



Queens of the Stone Age em Paredes de Coura.

Let there be Rock !


Acho que todos nós deviamos, pelo menos uma vez na vida, descer uma rua assim, de braço dado a alguém que gostamos, a pisar a neve branca, a olhar para o chão e sorrir. Deve ser isto que "eles" chamam de felicidade.

"Well, if you go when the snowflakes storm,
When the rivers freeze and summer ends,
Please see if she's wearing a coat so warm,
To keep her from the howlin' winds."

Já alguém se apercebeu que a VH1 é um especial contínuo sobre os anos 80? Alguém precisa de ligar para lá a dizer-lhes que já nem estamos sequer na década de 90.

O representante português da VH1, a RFM, continua a passar Queen e Pink Floyd o dia inteiro. "Só musicas boas" dizem eles. Tudo igual por aqui. Continuem.



Até parece que foi há 11 dias ... Olha, e foi mesmo. Manifesto "Electroclash na Feira".
A astróloga Maya diz:

14 de Julho de 2003

LEÃO – 24/07 a 23/08

SAÚDE: A sua alimentação deve merecer maior cuidado ; coma com tempo.
AMOR: Seja delicado e diplomático no tratamento das questões afectivas; a sensibilidade de cada um deve ser respeitada.
DINHEIRO: Reconheça que nem sempre tem razão adapte-se a outras normas ou directivas.

Certo. Além disso, vou tentar também evitar passar por debaixo de escadas, não partir espelhos e vou fugir sempre de gatos pretos. E, de repente, o futuro torna-se mais claro.
A minha infância - Parte 3

Há palavras que nos beijam

Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca,
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.

Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto,
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.

De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas, inesperadas
Como a poesia ou o amor.

(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído,
No papel abandonado)

Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.

Alexandre O'Neil


Para terminar a noite, "Poses" de Rufus Wainwright que vai estar entre nós no dia 19 de Julho em Vilar de Mouros. Belas canções pop com arranjos sonhadores e apaixonantes. Canções atravessadas por pianos delicados, violinos enternecedores e vozes que aquecem. Um sonho pop em forma de disco.

segunda-feira, julho 14, 2003

Frequências ? Orais ? Problemas com os(as) namorados(as) ? Nervos ?

Na falta do original, experimentem isto


Por mais que critique, enjoe ou tente fugir de Espinho, esta cidade fará sempre parte de mim.
E deve ser, mais uma vez, onde vou passar o meu verão entre praia e umas saídas à noite.

domingo, julho 13, 2003



«Em 1921, abriu no número 112 da Rua de Santa Catarina um luxuoso café, o Elite, que passados poucos meses tomaria o nome de Majestic.
A qualidade do serviço e o ambiente requintado rapidamente fizeram do Majestic um dos mais selectos cafés do Porto...»


"Passing years did not change a thing. Amélie continues to take refuge in her loneliness. She enjoys asking herself silly questions about this world or this town spreading under her eyes."


Radiohead

Fake Plastic Trees

Her green plastic watering can
For her fake chinese rubber plant
In fake plastic earth.
That she bought from a rubber man
In a town full of rubber plants
Just to get rid of itself.
And it wears her out, it wears her out
It wears her out, it wears her out.

She lives with a broken man
A cracked polystyrene man
Who just crumbles and burns.
He used to do surgery
For girls in the eighties
But gravity always wins.
And it wears him out, it wears him out
It wears him out, it wears him out.

She looks like the real thing
She tastes like the real thing
My fake plastic love.
But I can’t help the feeling
I could blow through the ceiling
If I just turn and run
And it wears me out, it wears me out
It wears me out, it wears me out.

And if I could be who you wanted
If I could be who you wanted,
All the time, all the time, ohhh... ohh...
Um Hard Club bem composto recebeu esta noite as bandas do segundo dia do Festival de Hip Hop em 4 Elementos. Actuaram primeiro os Entidade ( de Leça ), os Shingai ( de Espinho ) e os Terrorismo Sónico ( de Gaia ) enquanto estava sentado numa cadeira na parte de cima do HC. Quando os Blackalicious entraram em palco, tornou-se mais do que evidente que o lugar certo para assistir ao concerto, seria no meio da multidão onde se começava a desenhar a festa. Escusado será dizer que dancei a noite toda enquando os Blackalicious apresentavam os temas do último registo "Blazing Arrow", que aliás não conhecia. O ambiente gerado transformou o concerto na festa esperada: Toda a gente dançava, repetia os refrões e respondia aos apelos dos membros da banda. Voltaram, claro, para o encore que consistiu em "Chemical Calisthenics" que mudava constantemente de ritmo e confundia a plateia em delirio. Uma grande noite de festa. Um grande concerto. Uma grande noite.


Blackalicious